Dez dicas para comprar roupas pela internet sem ter dor de cabeça

O iG Moda preparou um dossiê para você não se perder na hora das compras virtuais e conversou com quem mais entende do assunto: os consumidores!

Febre na internet, os sites de compras têm ganhado espaço entre os consumidores que buscam coleções limitadas, preços exclusivos e tranquilidade na hora de escolher uma peça de roupa. De acordo com a consultoria e-bit, a venda eletrônica do setor fashion representou cerca de 5% do total das vendas pela web em 2010, ocupando a 6ª colocação na participação total do mercado virtual brasileiro. E a tendência é de que esse número aumente ainda mais, afinal, centenas de lojas têm investido na rede. Pensando nisso, a reportagem do iG Moda preparou um dossiê com dez dicas para você não se perder na hora das compras. Confira!
Foto: Divulgação

Marcia Jorge

1. Saiba quais são as suas medidas
Para quem quer comprar roupas pela internet, o primeiro passo é saber quais são as medidas do corpo. Fita métrica na mão, confira as dicas da stylist Marcia Jorge para não errar na hora de fazer as suas anotações:

Busto
: passe a fita métrica sobre a auréola dos seios envolvendo-a no tórax
Cintura: meça um dedo acima do umbigo
Quadril: tire as medidas envolvendo a parte mais volumosa do bumbum com a fita
Braço: anote os valores do ombro ao dorso das mãos (dois dedos abaixo do punho)
Ombro: de ponta a ponta dos ombros.
Perna: do osso proeminente lateral do quadril ao calcanhar. Essa será a sua medida!

Além das medidas, se você deseja comprar em sites internacionais, é importante encontrar os conversores de medidas de acordo com a região que está comprando. Segundo a stylist, se o seu objetivo não é uma roupa justíssima, não há muito com o que se preocupar. “Mesmo assim, prefira as peças mais fáceis de serem vestidas, como as malhas, os vestidinhos leves e as peças que tenham elastano. Se estiver de olho numa calça jeans, escolha as marcas que você já conhece e sabe que caem bem no seu corpo.”

2. Vá atrás de um ‘modelo real‘
Com o aumento das lojas virtuais que vendem roupas pela internet, alguns sites passaram a disponibilizar diversos serviços para ajudar o cliente na hora da compra. Um deles é mostrar as peças sendo usadas por modelos, o que facilita na hora de analisar o caimento do produto. A publicitária Luciene Sobreira, de 28 anos, tem grande parte de seu guarda-roupa adquirido por meio dos shoppings virtuais. No começo, comprava aleatoriamente, mas agora aprendeu a lição. “Antes eu não me preocupava com o tamanho e o tipo da peça e comprei várias coisas que não eram nada daquilo que estava no site. Agora gosto de ver no corpo de alguém e conferir se o acabamento está perfeito.”

3. Monitor desconfigurado
Uma das reclamações mais comuns é a falta de semelhança entre o produto visto pela tela do computador e o que chegou na casa do comprador, principalmente a variação de cor e o tipo de textura. Dependendo da luz do estúdio em que a peça foi fotografada (ou até mesmo do monitor desconfigurado), a cor não é a que está sendo vendida. Por isso, vale a pena pesquisar o mesmo produto em outras lojas virtuais através do código de identificação. Se estiver em dúvida, a melhor coisa a fazer é não comprar o produto com uma possível imagem distorcida e partir para outras opções.
Foto: Arquivo pessoal

Ricardo Vasques

4. Pesquisar não custa nada!
Muitas vezes, o preço pode variar entre os sites de vendas. Por isso, o bancário Ricardo Vasques, de 34 anos, virou expert em garimpar o melhor valor no shopping virtual. “Há sites que fazem promoções para clientes que já compraram anteriormente e, por isso, o valor final da compra é bem mais vantajoso. Mesmo assim, sempre pesquiso o mesmo produto em uns cinco endereços antes de bater o martelo.” Segundo ele, as roupas e acessórios vendidos na internet costumam ser mais baratos do que nas lojas, mesmo quando são da mesma marca.

5. Avalie o seu biótipo e não tente se enganarAssim como nas lojas ‘reais’, o bom senso deve prevalecer durante as compras virutais. Às vezes, a peça está linda na modelo, mas não combina com o corpo do cliente. “Para comprar na internet é importante conhecer muito bem o próprio corpo, independentente se a pessoa é magra ou gordinha. E, claro, ficar atenta no jeito que a foto foi tirada, pois há muitos ajustes para que caia bem no manequim.”

6. Faça as contas
A tentação por produtos exclusivos é grande, mas o valor do frete pode ser maior ainda, principalmente se a loja virtual não for nacional. Dependendo do valor da peça, além do frete, o consumidor terá de buscar a encomenda no correio e pagar uma taxa extra. A lei no Regime de Tributação Simplificada é clara: caso o valor da compra (incluindo o frete e o seguro) seja inferior a U$S 50 (com o valor descriminado na embalagem), o consumidor estará isento de impostos. “Em alguns sites, quanto mais você compra, menor é o valor da entrega, mas pode ser uma pegadinha”, avisa Luciene. A compra virtual é sinônimo de fechar um bom negócio. Qualquer coisa diferente disso precisa ser repensada.

7. Não se empolgue na hora das compras
Comprar pela internet tem as suas vantagens, mas também pode ser uma cilada dependendo de quanto você tem para investir. Durante um passeio no shopping é possível ter noção do volume de peças adquiridas por meio da quantidade de sacolas e aí, perceberá a hora de parar! Nas lojas virtuais, porém, essa sensação é mais difícil de ser notada. O bancário já caiu nessa armadilha. “Teve uma época em que entrei em vários sites gringos e perdi a noção da quantidade de roupas que havia comprado. Dia sim dia não chegava uma encomenda na minha casa de coisas que eu nem lembrava mais. Depois percebi que tinha estourado o meu orçamento.”

8. Política de compras e cuidados
O consumidor precisa estar atento em relação aos recursos utilizados pelo site para garantir que a compra seja feita de forma segura e confidencial”, diz Marcos Diegues, assessor executivo do Procon-SP. O ideal é pesquisar sobre a integridade da loja virtual, ir atrás de comentários nos fóruns e conversar com amigos que já usufruíram do serviço. “O prazo é outro cuidado que o consumidor deve ter. Geralmente, as lojas mais conhecidas pelo consumidor costumam apresentar menos problemas das que não são tão populares. A maioria entrega dentro do prazo estipulado.” Vale lembrar que a nota fiscal terá de ser enviada juntamente com o produto.
Foto: Arquivo pessoal

Luciene Sobreira


9. Comprou e não gostou? O que fazer?
De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, o cliente tem, no máximo, sete dias para cancelar as compras efetuadas fora do estabelecimento comercial. Para se utilizar do direito de arrependimento de produtos adquiridos no Brasil, o consumidor deverá entrar em contato com a loja virtual e seguir as recomendações indicadas. Nos sites internacionais, é importante checar o contrato, pois as leis variam de acordo com a região. O produto não poderá ter sofrido nenhum tipo de alteração. “Uma vez comprei um vestido que estava lindo na foto, mas me decepcionei quando chegou. Não era o que eu imaginava. Não pensei duas vezes e devolvi a peça sem precisar justificar nada”, lembra a publicitária.

10. O produto tão aguardado chegou com defeito. Como trocar?

A entrega de produto que difere das características ofertadas pelo site configura descumprimento de oferta. Sendo assim, o consumidor poderá exigir a troca, nos termos da oferta, aceitar outro produto equivalente ou rescindir a compra, com direito à restituição do pagamento (com os valores atualizados). “O primeiro passo é tentar resolver o problema com o fornecedor, o caminho mais fácil. Caso ocorra alguma indisposição, basta recorrer ao Procon-SP ou outro órgão de defesa do consumidor”, explica Diegues. 
Por Eduardo Diório

Semana de Moda da China leva noivas coloridas à passarela

A semana de moda da China recebeu novamente a coleção de casamento da designer de Taiwan Tsai Meiyue. O desfile, que aconteceu em Banquet Hall, no Beijing Hotel, nesse domingo (30), levou vestidos coloridos à passarela.
Tsai Meiyue, conhecida por criar noivas muito além do convencional, repaginou trajes típicos do rococó. Os vestidos misturaram cores como pink e verde, estampas de flores com aplicações de pedrarias, e babados com bordados.
Para as noivas mais modernas, a proposta são vestidos curtos color blocking, como uma peça curta verde com uma longa cauda pink.
O branco tradicional não ficou de fora, provando que ainda é o sonho de consumo das noivas.
Tsai Meiyue, conhecida por criar noivas muito além do convencional, apresentou trajes típicos do rococó repaginados. Os vestidos misturaram cores como pink e verde e estampas de flores com aplicações de pedrarias
Vestido de noiva colorido em camadas chamou atenção em desfile na semana de moda da China
Para as noivas mais modernas, a proposta são vestidos curtos color blocking, como uma peça curta verde com uma longa cauda pink
Arranjo dourado na cabeça fez do vestido com corpete dourado e saia rendada ainda mais ostensivo
Vestido de noiva misturou babados com bordados
O branco tradicional não ficou de fora do desfile, provando que ainda é o sonho de consumo das noivas
A semana de moda da China recebeu novamente a coleção de vestidos de casamento da designer de Taiwan Tsai Meiyue
Modelos aguardam início de desfile de noiva nos bastidores

Fotos: Getty Images
Fonte :TERRA

Preto, flores e transparência: veja 10 tendências para o inverno 2012

Com os desfiles do Minas Trend Preview, que abriu a temporada de moda outono-inverno 2012, já dá para ter uma noção de como será a estação mais fria do ano que vem, pelo menos em território brasileiro. As 21 grifes que passaram pelas passarelas mineiras, além do evento de abertura, dirigido por Ronaldo Fraga, apontam um inverno de tonalidades escuras, roupas mais sóbrias e estampas misturadas.
Confira abaixo 10 tendências mostradas na semana mineira de moda para a estação que ainda vai demorar alguns meses para chegar, apesar das baixas temperaturas que reinam em algumas regiões do País, em plena primavera.
Cores – Pode ser redundância falar que o preto mais uma vez será a cor rainha do inverno, mas pelo menos é essa a proposta das grifes mineiras. Vem também marrom, bege e nude. Para quebrar a sisudez, o laranja escurecido ou ferrugem aparecem, ao lado de tonalidades azuis ou puxando para o bordô. Para iluminar, brancos, pratas e dourados.
Brilho – O rico trabalho artesanal mineiro vem em aplicações brilhantes, muitas delas formando desenhos sobre as roupas. Tecidos metalizados e couros trabalhados com brilho também surgiram, assim como fios brilhantes que enfeitavam algumas peças sobre sutis transparências. Quentinhos – Os tricôs em casacos, vestidos, blusas e saias surgiram nas passarelas mineiras, ora mais pesados, ora mais leves, dando movimento aos looks. Lã mescla, xadrez e tweed também pontuaram várias coleções.
Comprimentos – Houve curtos e muitos longos, mas parece que a altura até o joelho – um pouco mais para cima, ou levemente abaixo – será o comprimento da estação.
Silhueta – Os anos 20, com os vestidos retos e cintura deslocada para o quadril deram as caras, tendência mostrada nos desfiles internacionais de verão. Nada vem muito justo e sensual, mas quase tudo tem movimento. Há também uma queda para algumas silhuetas arredondadas. A cintura alta se mantém em alta, com calças e saias usadas com cintos. Sobreposições e mistura de pesado e leve também formam belos looks.
Transparência – Para o inverno 2012, as grifes que se apresentaram em Minas apostam também nas transparências em partes das roupas, que podem receber aplicações e bordados. Mas sempre há um lado opaco para contrapor.
Estampas – Flores ainda se mantêm no próximo inverno. Muitas surgem não desenhadas, mas aplicadas sobre as peças, formando delicados relevos. A geometria também é forte, misturando cores, como várias tonalidades de marrom, ou contrastando, como o preto e o branco, ou azul e branco. E tem também animais e ilustrações diversas. Anote: tudo pode ser usado junto, desde que com harmonia.
Peças – Aposta certa são os casacos ou casaquetos de lã tweed ou tricô. A história de ter peças ecléticas para vários looks foi bem nítida nos desfiles mineiros. Tais peças, então, podem vir com saias, vestidos, calças e camisas.
Detalhes – Peles, franjas, rendas, aplicações, fitas amontoadas, lã esgarçadas enfeitam as roupas, algumas cortadas a fio (como se não tivessem sido finalizadas), enfeites engraçados e maxi acessórios, que funcionam como parte da roupa, tiram o ar minimalista das coleções.
Nos pés – Os saltos altos ganham o inverno. E as plataformas altíssimas, ora retas, ora tipo anabelas são os pontos fortes da estação mais fria. Bicolores, enfeitados, brilhantes… Não, os sapatos não são nada básicos, mesmo os escarpins mais clássicos vêm com aplicações e bordados.
Foto: Divulgação
Com os desfiles do Minas Trend Preview, que abriu a temporada de moda outono-inverno 2012, já dá para ter uma noção de como será a estação mais fria do ano que vem, pelo menos em território brasileiro. As 21 grifes que passaram pelas passarelas mineiras, além do evento de abertura, dirigido por Ronaldo Fraga, apontam um inverno de tonalidades escuras, roupas mais sóbrias e estampas misturadas

Foto: Agência Fotosite/Divulgação
Comprimentos – Houve curtos e muitos longos, mas parece que a altura até o joelho será o comprimento da estação. Na foto, grife Camaleoa apostou em vestidos com corte acima do joelho

Foto: Agência Fotosite/Divulgação

Transparência – Para o inverno 2012, as grifes que se apresentaram em Minas apostam também nas transparências em partes das roupas, que podem receber aplicações e bordados. Mas sempre há um lado opaco para contrapor, como visto no modelo da grife Vivaz (foto)

Foto: Agência Fotosite/Divulgação

Cores – Pode ser redundância falar que o preto mais uma vez será a cor rainha do inverno, mas pelo menos é essa a proposta das grifes mineiras. Vem também marrom, bege e nude. Para quebrar a sisudez, o laranja escurecido ou ferrugem aparecem, ao lado de tonalidades azuis ou puxando para o bordô. Para iluminar, brancos, pratas e dourados. Na foto, modelo da grife Uma

Foto: Agência Fotosite/Divulgação

Brilho – O rico trabalho artesanal mineiro vem em aplicações brilhantes, muitas delas formando desenhos sobre as roupas. Tecidos metalizados e couros trabalhados com brilho também surgiram, assim como fios brilhantes que enfeitavam algumas peças sobre sutis transparências. Na foto, peça da coleção da Patricia Motta
Foto: Agência Fotosite/Divulgação

Silhueta – Os anos 20, com os vestidos retos e cintura deslocada para o quadril deram as caras, tendência mostrada nos desfiles internacionais de verão. Nada vem muito justo e sensual, mas quase tudo tem movimento. Há também uma queda para algumas silhuetas arredondadas. A cintura alta se mantém em alta, com calças e saias usadas com cintos. Sobreposições e mistura de pesado e leve também formam belos looks. Na foto, vestido de Samuel Cirnansck
Foto: Agência Fotosite/Divulgação

Detalhes – Peles, franjas, rendas, aplicações, fitas amontoadas, lã esgarçadas enfeitam as roupas, algumas cortadas a fio (como se não tivessem sido finalizadas), enfeites engraçados e maxi acessórios, que funcionam como parte da roupa, tiram o ar minimalista das coleções. Na foto, coleção da Claudia Arbex
Foto: Divulgação

Peças – Aposta certa são os casacos ou casaquetos de lã tweed ou tricô. A história de ter peças ecléticas para vários looks foi bem nítida nos desfiles mineiros. Tais peças, então, podem vir com saias, vestidos, calças e camisas. Na foto, peça da grife GIG
Foto: Divulgação

Quentinhos – Os tricôs em casacos, vestidos, blusas e saias surgiram nas passarelas mineiras, ora mais pesados, ora mais leves, dando movimento aos looks. Lã mescla, xadrez e tweed também pontuaram várias coleções. Na foto, look do desfile Talentos do Brasil

Foto: Agência Fotosite/Divulgação
Estampas – Flores ainda se mantêm no próximo inverno. Muitas surgem não desenhadas, mas aplicadas sobre as peças, formando delicados relevos. A geometria também é forte, misturando cores, como várias tonalidades de marrom, ou contrastando, como o preto e o branco, ou azul e branco. E tem também animais e ilustrações diversas. Anote: tudo pode ser usado junto, desde que com harmonia. Na foto, peça da Aurea Prates

POR ROSÂNGELA ESPINOSSI

10 dicas para colorir o seu guarda-roupa e trazer mais alegria e estilo neste verão

Foto: Divulgação

Esqueça esta história de que cor tem a ver com orientação sexual. Ninguém se torna gay porque usa uma cor diferente de azul marinho, cinza, preto e branco.
Esclarecida esta questão, um temor que pode parecer ultrapassado ou mesmo absurdo para muitos, mas comum entre os homens heterossexuais – principalmente os mais velhos – , podemos começar a coluna Hora H desta semana. Ela é dedicada a uma das principais tendências deste próximo verão: o uso do visual formado por “bloco de cores”, o chamado “color blocking”. Sendo gay ou heterossexual, não importa: seu guarda-roupa vai ficar melhor com uma boa dose de colorido neste verão.

Já é comum ver jovens com calças vermelhas, verdes ou amarelas, usadas muitas vezes com camisetas e tênis em tons vibrantes. A inspiração vem de bandas como NX Zero e Restart. Muitos torcem o nariz para estas combinações, considerando o resultado muito exagerado. Mas existe um caminho do meio para usar cores mais fortes sem parecer um adolescente tardio.

A seguir, veja dez dicas para colorir o seu guarda-roupa e trazer mais alegria e estilo para os próximos meses:

1. Comece a colorir o seu guarda-roupa pelos acessórios, é mais fácil para se acostumar com a ideia;
2. Relógios coloridos, tênis, cintos, óculos de sol, uma mochila, podem dar uma ânimo redobrado para combinações tradicionais como azul e branco, por exemplo;
3. Uma camiseta colorida usada com jeans pode rejuvenescer sua aparência em um piscar de olhos;
4. A camiseta colorida também pode ser usada por baixo de camisas com cores neutras, e funciona para quebrar um pouco a monotonia do seu visual;
5. Cores mais fortes (laranja, verde bandeira, vermelho) ficam ótimas quando combinadas com cores neutras, como cinza e cáqui, por exemplo;
6. Para quem tem problemas com cores, mas quer estar na moda, adquirir um tênis colorido pode ser uma solução simples. 
7. Se tiver dúvida para compor o visual com uma peça estampada, eleja uma cor dominante, que apareça tanto na bermuda ou calça quanto na camiseta ou camisa, para acertar na composição;
8. Caso trabalhe em ambientes formais, as cores mais fortes podem sem usadas nas gravatas e combinadas com camisas em tons pastel, que não precisam ser brancas ou azuis;
9. Quanto mais colorida for a roupa, quanto mais combinações de cores usar, mais casual será o resultado;
10. As cores fortes têm o poder de mudar o foco do seu visual. Uma cor vibrante na camisa ou camiseta pode ajudar a amenizar a aparência cansada do rosto (porque “puxa” o olhar para baixo). Já uma calça com cor forte, acompanhada de uma camiseta neutra, pode auxiliar a desviar o olhar de uma barriguinha indesejada.

POR RICARDO OLIVEROS
Colunista do UOL

Dez passos para se vestir bem sem torrar a mesada em grifes caras

Você sofre ao ver seu rico dinheirinho escorrer pelos ralos fashion de shoppings e lojas caras? Perde dias, noites e baladas sonhando com certas grifes hypadas?


Você está cansado dessa vida e quer deixar de ser vítima da moda?


Pergunte-me como. Certo, de fato as supergrifes oferecem produtos apetitosos, e não há nada de errado em querer um deles de vez em quando – que tal programar a compra de duas ou três peças turbinadas por ano, aproveitando liquidações?


No resto do ano, siga:

Luan e Giulia, do grupo de apoio do Folhateen, vestem look completo comprado com até R$ 100; veja o desafio

OS DEZ MANDAMENTOS DA MODA BARATA

1. COMPRARÁS…
…em brechós

2. REPETIRÁS SEUS MODELOS FAVORITOS…
…eles serão marcas de estilo

3. LARGARÁS MÃO DE SER METIDINHO…
…e frequentarás lojas populares

4. TERÁS TARDES DIVERTIDAS…
…com os amigos na rua 25 de Março
5. ORGANIZARÁS FEIRAS DE TROCAS…
…em casa ou no colégio/faculdade

6. ASSALTARÁS…
…o guarda-roupas de familiares

7. BUSCARÁS INSPIRAÇÃO NAS BANDAS INDIES OU PUNK…
…nos hippies e beats, nos pioneiros do rap, do blues e do soul e nos surfistas e skatistas das antigas, ícones de estilo que não usavam grifes caras
8. SOSSEGARÁS O PITO DE QUERER UMA ROUPA NOVA POR FESTA…
…porque isso é coisa de criancinha mimada

9. NÃO ESCOLHERÁS AMIGOS E NAMORADAS…
pelas marcas que eles usam

10. LEMBRARÁS QUE A MODA DEPENDE DE VOCÊ…
…mas você não depende da moda


Fotos: Luiza Sigulem/Folhapress

POR VIVIAN WHITEMAN
CRÍTICA DE MODA


BARATO E BONITO
Veja algumas dicas de roupas para você ficar na moda gastando pouco
GIULIA VESTE R$ 97,97

1. BODY BEYONCÉ

Zú Paulista

av. Paulista, 2.073, Conjunto Nacional, São Paulo

R$ 14,99

2. SAIA JEANS CINTURA ALTA

Torra Torra

R$ 34,99

3. SANDÁLIA FLORIDA

Di França

r. Augusta, 2.227, Cerqueira César, São Paulo

R$ 29,99

4. CINTO AZUL COM FIVELA DOURADA

Bazar Oxford

r. Pedroso, 448, Bela Vista, São Paulo

R$ 18



LUAN VESTE R$ 99,98

1. BERMUDA XADREZ

Torra Torra

R$ 29,99

2. CAMISETA HIGH VOLTAGE INSIDE

Storvo Inc.

r. Augusta, 1.492, Consolação, São Paulo

R$ 30

3. TÊNIS MYSTIKAS (All-Star Genérico)

Pontal Calçados

r. Leite de Morais, 115, Santana, São Paulo

R$ 39,99

GIULIA VESTE R$ 95,96

1. BIJUTERIAS: COLAR E PULSEIRA

Arf Folheadosr. Augusta, 1.944, Cerqueira César, São Paulo
R$ 7,99 cada
2. VESTIDO ESTAMPADO
Collins
R$ 39,99
3. SAPATILHA VERMELHA
Supermercado Extra
Preço: R$ 39,99

LUAN VESTE R$ 99,98

1. CAMISETA DO GARRINCHA
Endossa – Loja Colaborativar. Augusta, 1.360, Consolação, São Paulo
R$ 25
2. CALÇA SOCIAL PRETA
Torra Torra
R$ 34,99
3. TÊNIS MYSTIKAS (All-Star Genérico)
Pontal Calçados
r. Leite de Morais, 115, Santana, São Paulo
R$ 39,99

Fotos: Luiza Sigulem/Folhapress

POR ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER
E MAYRA MALDJIAN