Vai viajar para o exterior? Saiba como se vestir no frio do hemisfério norte


A peça-chave para enfrentar um inverno rigoroso é um bom casaco, preferencialmente de lã

O maior desafio para quem se prepara para viajar para o exterior no fim do ano, com destino ao hemisfério norte, é montar a mala, de modo a levar peças suficientes para combater o frio e ainda deixar um espaço para as compras.
Como as temperaturas são amenas em boa parte do país mesmo na estação mais gelada do ano, o guarda-roupa dos brasileiros é composto normalmente por peças em tecidos mais leves e com menos forro. Amplamente usado por aqui, o acrílico, por exemplo, não é térmico. “Ele é quente no verão e frio no inverno”, disse Mariana Rocha, consultora de moda e professora da Faculdade Santa Marcelina.
Por terem “cara de inverno”, essas peças podem enganar. E não adianta achar que é só colocar uma blusa em cima da outra e pronto. O frio até pode ser eventualmente contido, mas quem quer sair de casa com a mala lotada antes do início das férias? Além disso, é importante lembrar que os restaurantes, hotéis e estabelecimentos em geral têm aquecimento. Então, quanto maior for o número de camadas, maior será o tira-e-põe de roupas cada vez que entrar e sair de algum lugar.
O segredo, portanto, é separar poucas e boas peças. “Dê preferência às de lã e leve um casaco longo, até o joelho”, disse a especialista. Cashmere, plumas de ganso e o moderno fleece (fibra sintética criada para temperaturas extremas) são outras opções. Como o preço de peças nestes materiais costuma ser alto, às vezes vale mais a pena deixar para comprar parte das roupas mais quentes no destino da viagem, aproveitando as liquidações de fim de ano. Já os casacos podem ser facilmente encontrados a preços mais baixos em brechós – olhe as opções disponíveis na sua cidade. Tome cuidado com o peso do casaco, se você pretende andar bastante pela rua. Depois de um tempo de caminhada, a sensação é de que a peça ficou mais pesada, e os ombros parecerão mais sobrecarregados a cada passo.

Aprenda a se vestir de acordo com o tipo de frio

Abaixo de zero
Cidades como Toronto e Chicago, na América do Norte, e regiões como a Escandinávia, na Europa, têm as médias máximas raramente acima de 0ºC neste período de férias de fim de ano. Antes de pensar em estar na moda, é preciso aprender a ficar quente. Considere investir em um casaco em fleece (foto). Ele será a camada intermediária, entre uma camisa ou malha fina e um sobretudo. Os fashionistas torcem o nariz para as peças neste tecido, mas lembre-se de que ele vai ficar escondido. Deixe para caprichar na peça que vai arrematar o look – vale um casaco de lã ou jaqueta com plumas de ganso. Em dias de muito frio, uma segunda pele ou camiseta e regata de malha (dessas encontradas em lojas de roupa íntima) podem ser uma saída com pouco volume.
É muito importante também manter as extremidades aquecidas: orelhas, pescoço, pés e mãos. Ao escolher os acessórios, procure sempre peças com tramas fechadas, que cortam o vento e impedem a entrada do frio. Nada daquelas luvas “cool”, sem a ponta dos dedos. Elas não servirão para nada. Quem ainda não tem, deve pensar em comprar um protetor de ouvido.
Já para as pernas, a combinação de jeans sobre uma meia-calça quente, ceroula (de lã ou algodão, dependendo de quão friorento se é) ou legging é suficiente. Os calçados precisam ser quentes e com solas de borracha, para evitar que a umidade e o frio cheguem ao pé. Dê preferência para meias de lã. Se não tiver, faça sobreposição com duas de algodão. Em casos de neve, opte por um sapato ou tênis impermeável, com solado antiderrapante.
Dica especial para as mulheres: nem pensem em levar vestidos se pretendem bater perna durante a viagem. Eles ficarão esquecidos no fundo da mala. Se um dia decidir usá-los, ficarão escondidos sobre as peças quentes ou, se ficarem à mostra, você estará em vias de congelar. 
0ºC a 8ºC
Entre os destinos no exterior mais procurados pelos brasileiros neste ano estão, segundo as agências de turismo CVC e Maktour, as cidades de Nova York e Paris, que possuem temperaturas médias entre 2ºC e 5ºC no período de dezembro e janeiro, e ocasionalmente atingem graus negativos.
Nestes casos, você pode substituir o casaco de fleece por uma malha de lã. Pense na fórmula básica de camadas como algo assim: camisa, malha de lã e casaco. Se sentir necessidade, coloque uma regata ou camiseta antes da camisa. Para dias de frio mais ameno, a combinação de moletom com capuz e jaqueta de couro é uma opção na moda. Cachecol deve estar sempre presente – prefira as peças de lã ou cashmere, que são mais leves e macias, ou o próprio fleece.
Se for do tipo menos friorento, uma calça jeans robusta costuma ser suficiente (pode substituí-la por alfaiataria em tecido de lã). Mas lembre-se de que a temperatura pode cair e o vento ajuda a diminuir a sensação térmica. Portanto, esteja preparado: leve uma legging ou ceroula e meias de lã. Elas não ocupam muito espaço na mala e podem salvá-lo de uma fria, literalmente. Luvas nem sempre serão necessárias, mas é bom tê-las à mão.
8ºC a 15ºC
Destino popular entre os brasileiros, Orlando e seu complexo turístico da Disney têm dias quentes e fins de tarde e noites com queda de temperatura, normalmente abaixo dos 15ºC. Lá, será muito mais fácil montar seus looks pela proximidade com o clima brasileiro.
Portanto, não deixe de levar um bom casaco – jaquetas de couro estilo perfecto continuam em alta e são um bom arremate para o look de todo dia. Vale também apostar em peças mais leves como um cardigã para quando a temperatura estiver amena.
Um cachecol pode ser de bom uso, mas não precisa se preocupar com os demais acessórios para o frio.
Úmido
O crucial em climas úmidos, especialmente naqueles em decorrência da chuva, são as peças impermeáveis. Sugerir um casaco em tecido impermeável é óbvio, é claro. Mas o que muitas pessoas não sabem é que além de um clássico trench coat, por exemplo, é importante tomar cuidado com o sapato. Não adianta em nada manter o corpo aquecido e molhar os pés.
Por isso, os calçados têm de ter solado de borracha, que impede a passagem da umidade. Solados de couro estão proibidos.
Tênis não são tão quentes quanto botas, mas isolam os pés da umidade. Caso opte por eles, lembre-se de reforçar as meias.
Com vento
Em cidades com vento constante, o cuidado deve ser maior com a camada que arremata o look. Peças de lã ou com tramas não tão fechadas deixarão o frio passar e darão a sensação de que você está no freezer. Opte por aquelas em tecidos tecnológicos isolantes, nylon ou couro. Apesar de serem menos quentes, eles impedirão a passagem do vento.
Se o seu agasalho for do tipo mais fino, reforce as camadas internas. Assim, as peças de dentro o manterão aquecido e a blusa de fora cortará o vento.
Gorros ou protetores para as orelhas também são importantes para evitar dores de ouvido. Caso opte apenas pelo gorro, tenha certeza de que ele possui tramas bem fechadas.
Na neve
Se você vai pela primeira vez a uma estação de esqui, não se assuste com as previsões abaixo dos -10ºC, nem se preocupe em comprar roupas específicas para esportes na neve. Como elas utilizam tecidos tecnológicos e novos materiais, costumam ser muito caras. O investimento é válido apenas quando seu uso for constante.

As estações oferecem aluguel tanto de equipamentos quanto de vestuário. Então, aproveite. Mas tenha certeza antes de sair de casa se haverá roupas disponíveis para você e seus acompanhantes. Considere comprar as peças apenas se tiver intenção de adotar o esqui ou o snowboard como prática esportiva.

Fotos: Reprodução

POR FERNANDA SCHIMIDT

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: